• Porto & Bitetti

Revisão de dívidas bancárias

Atualmente, 60% da população está endividada no Brasil - numa bola de neve dos juros que leva muitos a fazerem empréstimos para pagar outros empréstimos. Fique de olho, pesquise muito, faça muitas contas, pois na hora de conseguir créditos os bancos se utilizam de uma publicidade romântica para te seduzir. Porém o lucro que obtêm com os juros é gigantesco.

Até que o Projeto de Lei 3515 seja aprovado, ainda não existe uma política pública que reconheça a situação “sem saída” do consumidor endividado e obrigue os bancos a fazerem uma negociação justa das dívidas.

Quando seu empréstimo se tratar de financiamentos de veículos, financiamentos imobiliários e empréstimos com garantias fique muito atento, pois nestes casos seus bens podem ser tomados como forma de pagamento. Negocie mesmo! Veja 5 orientações do IDEC (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) quanto ao empréstimo pessoal, cartão de crédito e cheque especial:

1 – Levante o histórico da dívida:

Desde o momento da contratação do crédito guarde TODOS os documentos referentes ao financiamento conseguido;

Se INFORME sobre as taxas de juros e outros custos embutidos na operação;

Caso a dívida já esteja atrasada, peça ao banco a evolução detalhada do saldo. Será muito útil no momento da negociação.

2 – Analise sua capacidade de pagamento:

Se for possível, antes mesmo de contratar o financiamento, faça contas dos seus gastos fixos mensais e veja se sua renda é suficiente para cobrir essas despesas sem comprometer sua subsistência; Assim será possível discutir com o banco a melhor proposta para seu caso.

3 – Apresente uma proposta realista:

Faça uma lista de todas suas dívidas, começando da mais cara para a menos cara;

Veja os benefícios de pagamento à vista ou em poucas parcelas. Lembre-se que a ideia é não aumentar a dívida.

Em todas as hipóteses tente negociar o maior desconto ou a menor aplicação de juros.

4 – Nem sempre um acordo será possível:

Nunca aceite a primeira proposta de cara. Não decida na hora!

Sempre fique atento aos riscos que está correndo com o não pagamento da dívida, como por exemplo ter o nome negativado ou um bem penhorado.

5 – Práticas ilegais? Procure ajuda especializada:

São práticas ilegais:

- retirar recursos de outras contas vinculadas como poupança ou contas da pessoa jurídica para forçar o pagamento da dívida;

- não se sinta ameaçado e fique atento sobre eventual exposição a constrangimento público.

Se algum destes for seu caso, entre em contato conosco! O escritório Porto & Bitetti é especializado em direito do consumidor. Se precisar de mais detalhes, ligue que nós te ajudamos. Porto & Bitetti Advogados⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

www.portobitetti.com.br⠀⠀

Telefone: (11) 2649-5712⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

WhatsApp: (11) 95580-8791

3 visualizações

© 2020 Porto & Bitetti Advogados. Designed by The House of M

  • Branca Ícone LinkedIn
  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Instagram Branco